6º Simulado do Português em Foco | Português em Foco
Acesso do Aluno
Esqueceu a senha?
Acesso do Aluno

6º SIMULADO DO PORTUGUÊS EM FOCO

6º Simulado do Português em FocoHoje, excepcionalmente, é dia de simulado no Português em Foco! Este simulado – o sexto – foi preparado exclusivamente para os leitores do www.portuguesemfoco.com. As questões são no estilo Cespe/UnB e versam sobre  sintaxe e  semântica.
Como de costume, coloque suas respostas nos comentários e na segunda-feira, dia 25/04/2011, às 18h, publicarei o gabarito e o nome dos  três primeiros colocados.
Segue o simulado; será que você consegue gabaritá-lo?

6º  SIMULADO DO PORTUGUÊS EM FOCO

Falando de Amor

1 Quando comecei a escrever poesia, no princípio dos anos 70, eu tinha muito medo de escrever sobre o amor. Não era problema só meu. Minha geração considerava cafona cantar as graças e as sobrancelhas da mulher amada, ainda mais depois que um cantor inglês, cujo nome felizmente esqueci, se consagrou num Festival da Canção berrando uma canção chamada “Love´s all”. Só Vinícius de Moraes tinha o direito de cantar coisas de amor e, ainda assim, era encarado com desdém pelos poetas supostamente de vanguarda. Por inveja, é claro.

7 Aliás, esse negócio de falar de amor no Brasil nem sempre foi fácil. Mesmo os nossos poetas românticos falavam de amor sem muito conhecimento de causa. No fundo, tinham medo da prática, falavam só em teoria. Fora Castro Alves, que, no capítulo do romantismo aplicado, valeu por todos os outros: namorou as moças mais bacanas do seu tempo. Quem quiser saber mais sobre o assunto, é só consultar o poeta Mário de Andrade, que tem um esplêndido ensaio a respeito, chamado “Mocidade e medo”.

Revista O Globo, 16/01/2011 (fragmento)

Julgue os itens a respeito do texto acima. Use C  para item Certo e E para item Errado.

1. (Português em Foco) Nas linhas 11 e 12, as vírgulas imediatamente depois de Mário de Adrade e de respeito podem ser substituídas, sem prejuízo para correção gramatical da frase, por travessões.

2. (Português em Foco) Pode-se substituir a palavra sublinhada em “ Vinícius de Moraes tinha o direito de cantar coisas de amor” pelo adjetivo sozinho, sem que se altere o sentido do texto.

3. (Português em Foco) Na linha 1, o emprego do pronome pessoal “eu” é obrigatório, pois é a única forma de identificar o falante.

4. (Português em Foco) Em “Eu tinha muito medo de escrever sobre o amor” o verbo escrever assume a predicação intransitiva e a expressão “sobre o amor” denota valor semântico de assunto.

5. (Português em Foco) A forma verbal tinham está no plural porque tem como sujeito a expressão “os nossos poetas românticos”, apesar dessa expressão figurar em outro período do texto.

6. (Português em Foco) Respeitaria a correção gramatical e o sentido do texto se substituíssemos a forma verbal no pretérito mais-que-perfeito do modo indicativo “fora”, na linha 9, pelo termo exceto.

7. (Português em Foco) Na linha 11, “o poeta” funciona como complemento direto do verbo consultar e “Mário de Andrade”, como adjunto adnominal do termo poeta.

8. (Português em Foco) Em “Namorar as moças mais bacanas do seu tempo” haveria incorreção gramatical se a preposição “com” fosse colocada imediatamente depois do verbo namorar. Nova reescritura: Namorar com as moças mais bacanas do seu tempo.

9. (Português em Foco) Nas linhas 5 e 6, há exemplo de voz passiva analítica.

10. (Português em Foco) Na linha 1, as vírgulas imediatamente depois de “poesia” e de “anos 70” foram empregadas para isolar um termo de natureza adverbial.

37 Comentários

Você pode acompanhar qualquer comentário acessando via RSS 2.0.

Both comments and pings are currently closed.

« Voltar