Novo Acordo Ortográfico - Alterações | Português em Foco
Acesso do Aluno
Esqueceu a senha?
Acesso do Aluno

O QUE MUDA COM O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO

O QUE MUDA COM O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO
5 (100%) 1 vote

Novo Acordo OrtográficoDesde 1º de Janeiro de 2009, tenho visto alunos preocupadíssimos com a mudança da Língua Portuguesa. Alguns falam que agora não precisa mais usar acento, que o trema não existe mais etc. Ora, para alguns, os acentos foram exterminados há tempos e para outros… O que é trema mesmo?

Na verdade, uma língua sofre mudanças todos os dias, seja no vocábulo “imexível” criado por um deputado, seja no “mesmíssimo” falado em várias partes do Brasil.

Então, fique tranquilo (sem o trema), porque o nosso idioma está em constantes alterações; todavia, a proposta do novo acordo ortográfico é a unificar a escrita! Sabe o que isso significa? A fala permanece intacta!

Se estás pensando em sair por aí dizendo “Não entendi a ata da assembleia (com o e fechado)” estás muito enganado…

Em termos práticos, vejamos o que muda com o Acordo:

a) Ideia: essa palavra, antes do acordo, era escrita com acento agudo no “e” – idéia. Pela nova regra, os ditongos abertos “éi”, “ói” – em palavras paroxítonas- desaparecem, assim como em assembleia e jiboia.

b) O alfabeto passa a ter 26 letras (antes 23), as letras K, Y, X são inseridas nele, podendo ser usadas em siglas, nomes próprios etc.

c) O trema é eliminado em palavras portuguesas ou aportuguesadas. Escrevemos, portanto: consequência, pinguim, tranquilo. Mas, Mülleriano.

d) O hiato de “OO” não se acentua mais, antes escreveríamos: Ela está com enjôo. Agora: Ela está com enjoo.

e) O hiato “EE”: os verbos crer, ver, ler e dar (e derivados), na 3ª pessoa do plural, não serão mais acentuados. Eles creem em Deus. Eles veem os amigos. Eles leem o jornal.  Precisamos que elas deem as informações.

f) Pára ou Para: a distinção não é mais feita pelo acento diferencial. Observe: Ele pára o carro na rua e entrega o livro para o aluno.

O acento difere o verbo “parar” da preposição “para”, com a alteração fica: Ele para o carro na rua e entrega o livro para o aluno. A distinção é feita pelo contexto.

g) Não se acentuam o -I e -U tônicos, em palavras paroxítonas, quando precedidas de ditongo: feiura, baiuca, cheiinho.

h) Nos grupos “gue, gui; que, qui” não se usa acento no –U (das formas verbais), quando tônicos: apazigue, oblique.

i) O hífen, em palavras como “ante-sala”, desaparece e acrescentamos mais um “s”: antessala.

Tais alterações podem deixar você de “cabelo em pé” na hora de produzir um texto, prestar Concurso ou Vestibular; porém não há motivo para desespero! Basta estudar e, aos poucos, acostumar-se com as novas alterações.

Forte abraço a todos!

« Voltar